Saber viver

De vez em quando penso que ser feliz é uma arte, saber viver bem e feliz requer muita dose de trabalho e vontade e nem sempre é possível. Nós acordamos e vemos o mundo de uma maneira um dia, no outro ele está completamente diferente. Mas tem pessoas que conseguem enxergar as coisas como elas realmente são, e que tudo passa, e que temos força suficiente pra ser feliz e correr atrás dos nossos sonhos, e não desistir nunca… Pessoas assim fazem a gente perceber a nossa finitude, e que cada momento, cada instante, cada sorriso valem ainda mais.

Esse texto é de uma pessoa assim, que conheci a pouco tempo, mas que passei a admirar muito. Ele escreve no blog Ativar os Sentidos.

A Vida sobre Rodas
Por Edvando Junior

Viver sobre rodas, amar sobre rodas, estudar e trabalhar sobre rodas. Sensação de aventura, vento batendo no rosto, quase um pássaro voando livre pelo ar. É assim que eu me sinto.

Eu poderia ser um aventureiro montado numa Harley-Davidson cortando a BR-101 e ouvindo “Infinita Highway” dos Engenheiros do Hawaii no meu Ipod. Talvez um skatista disputando campeonatos mundo a fora ou quem sabe um ciclista competindo no Ironman. Também poderia ser um piloto de fórmula 1 acelerando a 300 por hora. Minha mãe que me perdoe, mais o que eu queria mesmo era saltar de pára-quedas e voar.

Mas aquilo que seria uma moto, um skate, uma bicicleta ou um carro de fórmula 1, na verdade é uma cadeira de rodas. Meu possante mais radical, toda feita em alumínio com pintura epóxi, dobrável em duplo X e totalmente desmontável. Pneu frontal inflável, tração manual nas quatro rodas, dois rodões na traseira com 40 libras cada um, aro 26 e amortecedores a prova de impacto. Um equipamento pronto para auxiliar nas competições em prol da vida.

Aos sete anos de idade parei de andar e fui apresentado a esse poderoso veiculo de quatro rodas. No início não foi fácil bateu insegurança, medo, insatisfação e até um pouco de culpa. Com o passar do tempo o amor da família e a ajuda dos amigos me encheram de coragem e força interior, vivi coisas que jamais imaginei viver com meu pequeno possante. Muitos duvidaram, até eu tinha lá minhas duvidas, mesmo assim fui adiante. Estudei, trabalhei, me formei, superei limites, preconceitos e obstáculos aparentemente intransponíveis.

Hoje sei que a deficiência é apenas mais uma barreira que devemos atravessar, um processo de readaptação a uma nova realidade. Enquanto muitos vivem numa redoma de ilusão maquiando suas vidas para esconder defeitos, outros procuram viver em paz consigo mesmo. Se você está passando por dificuldades. Tenha certeza de que muitas vezes chegaremos a vitória e subiremos ao pódio e outras tantas amargaremos derrotas. Pois o verdadeiro campeão é aquele que aprende com seus erros e adquire experiência para que as próximas vitórias sejam mais consistentes, recompensadoras e com um sabor todo especial.

Como os grandes pilotos apaixonados por velocidade e aventura, sigo competindo em prol da vida e me reconstruindo a cada momento.

Viver é uma dádiva, mas também é um desafio constante.

cadeirante thumb 15
Ilustração de Chris Boari

Tags: , , , , , , , , , ,

7 respostas para Saber viver

  1. Edvando Junior disse:

    Oi Stella,

    Caramba vc quer me fazer chorar mesmo né, snif snif!
    Vc sabe dizer a coisa certa na hora certa, é incrivel. Me emocionando sempre, mto obrigado pelas lindas palavras.

    Quanto ao texto vc não pede, vc manda minha querida hehehe… Para mim é uma honra!

    Olha o q escrevi no meu twitter hj: “Não percam a @stella_vercosa no meu blog e EU no blog deLa! Deu a louca nos blogueiros…”

    PS: Ah ta eu assino agora JR pra vc, bjsss!
    http://ativarsentidos.blogspot.com/

  2. Parabéns pela sua sensibilidade.
    Eu tenho um amigo cadeirante, vou indicar seu blog e de seu amigo a ele.

    Beijão!

  3. Mah disse:

    Menina, me emocionei com o texto que vc citou, maravilhoso!
    Seria bom que houvesse mais pessoas com toda essa sabedoria no mundo, mas o simples fato de existirem é o suficiente.
    A cada dia uma lição nova…ser feliz é uma arte trabalhosa sim. Vc pega um cadim de um, um cadim de outro, um cadim de si mesmo e quando menos se espera, tem uma receita incrível como esta de como simplesmente viver.
    Tô aki refletindo em qual equipamento utilizo para me auxiliar em pról da vida (todos precisamos de um, subjetivo ou não)..rs
    Parabéns!
    Beijos

  4. Ana disse:

    Nossa, achei o texto muito bonito. Um belo ponto de vista de quem passa por esse tipo de dificuldade e consegue superar os obstáculos da vida e se adaptar a uma nova realidade!
    Enquanto isso reclamamos de problemas tão pequenos…
    Parabéns pelo blog!!

    http://curtatemporalidade.blogspot.com/

  5. Willian disse:

    Muito obrigado MESMO, Stella.

    Você cita coisas maravilhosas. Tenho muito a aprender com você.
    =)

    Beijão.

  6. Edvando Junior disse:

    Olá pessoal,
    Vim agradecer a Ana Gabriela, a Mah, a Ana Claudia e o Willian pelos comentários…

    Bjo especial pra Stella (me salvaaa do seu spaaam hehehe).

  7. Piracetam disse:

    Aos sete anos de idade parei de andar e fui apresentado a esse poderoso veiculo de quatro rodas. No início não foi fácil bateu insegurança, medo, insatisfação e até um pouco de culpa. Com o passar do tempo o amor da família e a ajuda dos amigos me encheram de coragem e força interior, vivi coisas que jamais imaginei viver com meu pequeno possante. Muitos duvidaram, até eu tinha lá minhas duvidas, mesmo assim fui adiante. Estudei, trabalhei, me formei, superei limites, preconceitos e obstáculos aparentemente intransponíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>